Posts Tagged ‘Viral’

Rir é o melhor remédio

31 de agosto de 2011

Duvido você não rir da imagem abaixo:

Prometo que o post é mais engraçado que isso.

Prometo que o post é mais engraçado que isso.

Passando pelos pôneis malditos (você ainda se lembra qual era a marca da propaganda?), juntando com algumas boas ideias das cervejas (a Skol tem investido fortemente neste segmento de comédia, saindo um pouco do conceito cerveja-mulher-futebol-praia), o humor tem se provado eficaz em relacionar-se com o mundo (assim como eu sei que a imagem acima lhe fez se sentir menos intimidado com este post, por exemplo). Desde sempre, aquilo que é divertido, engraçado, gera muito mais viralização e comentários do que algo mais sóbrio, convencional, exatamente porque tudo aquilo que as pessoas mais procuram é a felicidade. E ultimamente tenho percebido algumas boas ideias que se utilizam desta nossa necessidade humana para promover seus produtos e suas marcas. Portanto, vamos a elas: (more…)

Anúncios

Uma idéia genial ou um grande mico?

26 de abril de 2011

Desde a explosão do uso da internet e principalmente do aumento exponencial do uso das redes sociais o marketing viral tem se mostrado uma ferramenta extremamente eficaz de divulgação de marcas e produtos.

Vimos diversos cases de sucesso nos últimos anos. Anúncios muitas vezes simples e com custo irrelevante que conseguiram atingir uma audiência praticamente impensada, em um espaço de tempo muito curto.

Algo que com o “Marketing boca a boca” tradicional seria muito mais caro… e com certeza muito mais demorado.

(more…)

Piada pronta ou “protesto viral”?

7 de dezembro de 2009

O escultor Mark Coreth parece ser um cara preocupado com a causa ambiental. Aproveitou a realização do COP15, cúpula que reúne líderes de 192 nações para discutir as mudanças climáticas, para fazer seu protesto de forma bastante original: Mark criou uma estátua de gelo de 1,8 metro, retratando um urso polar. A escultura derreterá ao longo do evento, o que, ao invés de estragar, irá reforçar a causa de seu protesto: o degelo do Ártico,  habitat do urso.

(more…)

iPhone é acessório!!

26 de novembro de 2009

Os caras que criaram o OWLE Bubo, um aparelho que se acopla ao iPhone com lentes que aumentam a resolução dos vídeos que o iPhone 3GS pode fazer, resolveram, para promover a qualidade da filmagem de seu produto, usar o iPhone como coadjuvante, em uma pegadinha bem legal, dêem uma olhada:

Interessante que é a primeira vez em que eu me deparo com uma promoção de acessório do iPhone assim. Normalmente o telefone é a estrela e tudo aquilo que se agrega é o acessório. Parabéns aos criadores, por terem pensado “out of the box”!!!

O iPhone que está no chão na verdade é uma cópia barata, que não funciona pra nada, A não ser para fazer a pegadinha!!

Boa ideia ou mau-gosto?

18 de novembro de 2009

Recebi, por meio dos updates do Facebook, um site dinamarquês, em que o propósito era o de trazer consciência para a população com relação a violência entre jovens.

Uma amiga minha (valleuz Mi!) me disse que, na Dinamarca, a violência entre jovens é algo relativamente comum, por conta do frio e da bebida. Até aí, tudo bem, sou completamente favorável por campanhas contra essas atitudes idiotas. Porém, o site é bem explícito e, ao meu ver, infeliz.

Utilizando-se de tecnologia recente (o website usa sua webcam como parte da interação), o site mostra uma mulher provocando-o, uma barra superior que vai de “Pussy” até “Gansta” e o objetivo é bater na coitada até a barra encher e você finalmente virar o Gangsta. A partir de então, aparece a frase “Idiot” e depois, em dinamarquês, as informações da campanha.

O website da campanha pode ser visto aqui. Tire suas próprias conclusões e postem aqui!

Desenvolvendo virais de sucesso

6 de novembro de 2009

*Baseado no original de Justilien Gaspard (http://searchenginewatch.com/3635496)

Uma campanha viral de sucesso pode gerar tanto um aumento na exposição de seu produto/marca, como também aumentar os acessos ao seu site. Uma das coisas mais difíceis é conseguir uma ideia, o jumpstart. Aqui vão algumas ideias de como se começar:

 

DEMOGRAFIA: ONDE PROCURAR

A primeira pergunta que deve ser feita é: Onde seu público se junta? Exatamente como na vida real, as pessoas de uma mesma demografia tendem a se juntar em um mesmo espaço (exceções sempre existirão, obviamente).

Faça uma lista dos sites que seus consumidores normalmente entram e veja quais as mudanças ocorridas ali no último ano. Não se preocupe com a qualidade daquilo que se está acumulando como informação, ao menos não agora. Estas informações podem ser desenhos, entrevistas, jogos online e promoções. Tudo depende do gosto do seu consumidor.

Lembre-se sempre de que, por mais que virais sejam de grande apelo, eles precisam ser eficientes ao grupo que você pretende atingir. Fazer algo para todos é o mesmo que fazer para ninguém.

Feito isso, reuna um grupo de pessoas para um Brainstorm. Discutam as ideias já feitas, as possíveis aprimorações, outros caminhos e também aquilo que não deu certo. Com isso, sua campanha viral começa a tomar forma.

 

PESQUISE AS MÍDIAS SOCIAIS

Aqui o trabalho deve começar antes mesmo de se pensar em viral. Saber qual a linha de “pensamento” de determinadas redes sociais é imprescindível para conseguir focar e melhorar os resultados. Se o público a ser atigindo é o brasileiro, por exemplo, utilizar-se do Facebook pode provavelmente ser um erro. Já monitorar o que faz sucesso no YouTube e em determinadas comunidades do Orkut trazem boas recompensas. Flickr, StumbleUpon, CollegeHumor, Perez Hilton, LinkedIn, são apenas algumas das opções de mídias sociais que podem trazer boas ideias. Novamente, foque no seu consumidor.

Sua proposta é vender roupas masculinas de alto nível? Pesquise sobre as empresas de carros de luxo e relógios. Quer aumentar a venda de xampus? Descubra o que a indústria de cremes e maquiagens está oferecendo. Sempre existirá um produto diferente do seu que possa lhe dar um bom caminho. Ou te dizer como não prosseguir.

 

DIVERSÃO COM O CONSUMIDOR

Uma das melhores formas de se relacionar com seus consumidores (e com qualquer pessoa, na verdade), é fazer rir. Crie um vídeo ou um desenho que faça com que o seu consumidor relacione-se, sem se sentir ofendido por isso. Uma boa risada é comprovadamente a principal característica de um viral de sucesso e, para se conseguir isso, é preciso que você primeiro entenda o que faz o seu consumidor ser único. Novamente, lembre-se: Fazer algo engraçado para a massa é relativamente fácil, mas pode não atingir o público consumidor.

Uma forma de trazer consumidores par sua empresa/produto é fazer graça consigo mesmo. Tem-se então a tranquilidade de não ofender outros. Mas pode ser ruim para sua própria reputação, se sua marca não for sólida/confiável o suficiente. Analise a si próprio antes de enveredar por este caminho.

 

COMPETIÇÃO VIRAL

Uma das boas formas de aproximar seu consumidor é pedir que ele produza o seu viral. Apesar do nível maior de risco, a possibilidade de se conseguir um material único é maior do que se apenas você controlar tudo.

Com esta alternativa, resta apenas saber qual o seu posicionamento com relação a competição: Seu trabalho será apenas premiar ou também divulgar o viral? Com relação a premiação, quais são os parâmetros que definem o vencedor (e aqui sua empresa terá de ser bastante específica, para evitar problemas de interpretação)?

Outro ponto de reflexão é: Se o viral vier de fora, qual o controle que você terá sobre ele? Uma empresa que permite que seus consumidores montem virais pode ser pega por má-publicidade, por um viral contra ao invés de a favor. Junte suas cabeças pensantes e tente colocar claramente aquilo que pode dar errado.

E, por fim, estruture-se financeiramente antes de tudo começar. Ideias, discussões e decisões tomam tempo e, sem dúvida alguma, dinheiro. Começar e não terminar uma campanha pode ser mais prejudicial do que uma campanha ruim.